segunda-feira, 3 de junho de 2013

O MISTERIO DA INIQUIDADE JA OPERA...


… O qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora …” 2 Tess 2:4
“Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que agora resiste até que do meio seja tirado;  E então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda;” 2 Tessalonicenses 2:7,8
defaultOrganização Não Governamental estimula pessoas a deixarem de ir à igreja: “Durma aos domingos”, diz o cartaz neste ônibus.
Nos Estados Unidos os cristãos estão sob fogo cerrado. A mais nova vítima dessa campanha insidiosa é uma escola de uma pequena cidade no Oklahoma. E qual foi o crime cometido pela escola? Colocar um outdoor onde encontra-se escrito os 10 Mandamentos!
Sim, foi à partir da publicação de um texto milenar, basilar nas culturas judaica e cristã, que a organização Freedom From Religion Foundation (FFRF), com sede em Wisconsin, resolveu mover um processo contra uma até então desconhecida escola de Muldrow. E não só contra ela, mas contra tudo e todos que ousarem apresentar-se como cristãos. A luta já dura alguns anos e a organização está disposta a lutar para que a prática cristã seja banida da vida pública norte-americana.
Surfando Comenta: Sabemos que quando mais o tempo de volta de Jesus Cristo se aproxima, mais o cenário profético vai reunindo seus atores para o último ato da tragédia humana. Antes que seja revelado o iníquo, seus servos terão que deixar o caminho pronto para sua chegada. Quando vemos esse tipo de notícia de forma nenhuma devemos nos surpreender pois tudo Deus já nos deixou dito como haveria de acontecer nem devemos temer o avanço das trevas, mas, exatamente ao contrário, devemos PROCLAMAR MAIS ALTO ainda que JESUS CRISTO É O SENHOR e, quanto mais os sinais proféticos vão se mostrando no horizonte, mais devemos nos alegrar e exultar, pois a nossa redenção está mais próxima.

nc3a3o-vc3a1-c3a0-igreja-no-domingoA atual ação começou após um morador da pequena cidade de 3.000 habitantes, ter-se incomodado com o painel que traz o decálogo mosaico. Desde então, centenas de moradores têm-se reunido para fazer orações na própria escola, lideranças políticas e religiosas se uniram e as redes sociais passaram a ser utilizadas em defesa da liberdade de culto.
“Uma nação que se recusa a permitir que educadores ensinem as crianças o que é certo e o que é errado acabará por tornar-se uma nação corrupta, onde o pecado prevalece, o mal abunda e todo mundo faz o que quer”, afirmou o deputado estadual republicano John Bennett ao Sequoyah County Times, o jornal do condado onde a cidade está localizada.
“É o Cristianismo sob ataque. Aliás, as Escrituras já afirmavam que isso viria a acontecer” afirmou John Moore, pastor local, cuja igreja produziu e distribuiu centenas de camisetas estampadas com a lista dos 10 Mandamentos.
Temendo represálias, a escola pediu aos alunos que não usem as tais camisetas, enquanto o aluno “incomodado” vem se queixando de discriminação. Não será surpresa se outros processos estiveram a caminho, afinal de contas a tal FFRF tem fama de comprar briga com os evangélicos e ostenta no seu web-site uma lista de supostas “vitórias” obtidas na área. Veja aqui uma seleção delas.
PRINCIPAIS CONQUISTAS DA FFRF
1. Proibição do uso de orações nas formaturas no Estado do Michigan.
2. Proibição das escolas patrocinarem um evento anual chamado “Dia Nacional de Oração”.
3. O diretor de uma escola primária de North Knox foi proibido de fazer orações no início das aulas.
4. A direção de uma escola em Crowley, Louisiana, foi repreendida por ter utilizado uma música cristã numa campanha anti-bullying.
5. No Missouri o prefeito de uma cidade foi obrigado a remover o logotipo de um peixe que havia em seu gabinete, pois este é um dos símbolos pelos quais os cristãos se identificam.
6. Em Kirtland, no Novo México, uma escola foi proibida de exibir o filme “Desafiando Gigantes”.
7. O treinador de uma equipe de futebol de Stephenville, no Texas, foi proibido de comemorar as vitórias do seu time com uma oração coletiva entre eles.
8. Uma escola de Haysville, no Kansas, foi proibida de convidar pastores para dar aulas de religião aos seus alunos.
9. Clínicas médicas de Kansas City que recebam recursos públicos estão proibidas de utilizarem em suas paredes qualquer tipo de gravura que contenham versículos bíblicos.
10. Um piloto da Força Aérea Americana foi obrigado a remover uma oração que estava afixada em seu avião depois que um piloto não crente de um outro avião procurou a FFRF para dizer que a oração do colega o incomodava.
11. Uma escola primária de Riverside, Califórnia, foi acusada de proselitismo depois que um professor da sexta série disponibilizou uma lição de casa onde as dez pragas do Egito são tratadas como fatos históricos.
12. A FFRF conseguiu com que a Justiça obrigasse o departamento de polícia de San Angelo, no Texas, a remover uma cruz latina (não um crucifixo), depois de receber denúncia de uma moradora incomodada com o display.
13. Os corais das escolas primárias de Ocean Springs, no Mississippi estão proibidos de incluir canções cristãs nos seus repertórios. A proibição veio após a denúncia de um pai que não gostou de ver que 6 das 14 canções cantadas pelo coro tinham enfoque religioso. O coral estava se apresentando numa Igreja Batista e a música que mais incomodou ao zeloso pai foi “Vem Com Josué Lutar em Jericó”. Segundo a FFRF, o pai argumentou que na música “Josué é instruído por seu deus (sic) a cometer genocídio contra o povo de Jericó”.
14. Os jardins de Infância de Clay, no Alabama, devem proibir seus professores de realizarem quaisquer orações cristãs antes das aulas. A proibição surgiu depois de denúncia de um pai que não gostou de ver uma educadora de infância da escola elementar onde seu filho estudava fazendo uma prece antes das atividades iniciarem.
15. Na Geórgia, uma professora de ciências da 6ª Série da cidade de Lakeview foi proibida de cantarolar músicas cristãs no ambiente escolar. Para evitar processos, o advogado defensor do caso enviou uma carta à FFRF onde dizia que “a professora admitiu que havia cantado músicas impróprias para as crianças”.
16. Um centro médico de Lake City, Flórida, removeu um versículo da bíblia postado na parede da sala de espera, após denúncia de que ele violava a primeira emenda da constituição americana. Os pacientes que aguardavam atendimento tinham ao alcance da vista um cartaz onde podia-se ler Filipenses 4:13 “Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece”. Para a FFRF, “[a mensagem] implica Jesus é um elemento importante na reabilitação do paciente e quando a pessoa está curada pelos médicos (…), o paciente é convidado a dar crédito ao deus (sic) cristão”.
17. As escolas públicas de Bartow County, na Geórgia, estão proibidas de permitir que os Gideões Internacionais distribuam cópias do Novo Testamento aos alunos. A nota da FFRF diz que os Gideões estão proibidos de “vender” Bíblias. Ora, os Gideões não vendem Bíblias, eles doam, gratuitamente, cópias do Novo Testamento e dos Salmos.
18. Um pai, ateu, de um aluno de uma escola primária em Sulphur, Oklahoma, reclamou que não gostava de ver o filho participando de peças de teatro que contivessem músicas ou quaisquer outras referências à religião cristã. Quando a escola atendeu o pedido dispensando o aluno de tais atividades, o pai procurou a FFRF para denunciar que o filho estava sendo alvo de bullying ao ser deixado de fora. Na verdade o que este pai quer é que a temática cristã seja banida da escola.
19. Um guarda florestal do George Wyth Park foi obrigado a apagar uma cruz latina (não crucifixo) que tinha na porta da garagem da sua casa. Como a casa do guarda está dentro do parque e a cruz era visível a quem passasse pela estrada, a FFRF entrou com pedido para que a cruz fosse removida. E foi atendida.
20. Dois funcionários do Wichita High School, no Kansas, foram advertidos pela FFRF por haver acrescentado versículos bíblicos ao final das suas comunicações por e-mail. Stephanie Schmitt, advogada do FFRF disse em comunicado à direção da escola que “o endosso religioso era ofensivo e inconstitucional”.
21. O departamento de polícia de Cedar Park, Texas, foi obrigado a remover a imagem de uma cruz latina (não crucifixo) que estava presente no selo e no crachá do Capelão local. A FFRF também exigiu que a expressão “Capelão da Polícia” fosse excluída do carro que é utilizado pelo policial.
22. Os conselheiros estudantis da Cesar Chavez Elementary School foram “convidados” repensar o uso da religião depois que um aluno considerou “assédio moral” o fato de um dos conselheiros ter usado expressões como “o céu se parece com” e “como podemos chegar ao céu” durante uma sessão de aconselhamento.
23. Um professor da Carver Middle School, em Monroe, Geórgia, foi proibido de testemunhar a sua fé depois de a FFRF tê-lo acusado de “transformar a sala de aula em uma escola dominical”, uma vez que este compartilhou com seus alunos a importância do cristianismo. Uma família apresentou denúncia, pois o professor havia dito que era importante “conhecer a Deus” e que “todos precisam de salvação”. A FFRF concluiu que “estes sermões eram um assalto à crianças vulneráveis”.
24. Uma vez por ano (isso mesmo, uma vez!) o prefeito de Springfield, J. Michael Houston organizava um café da manhã especial onde fazia-se orações pelo seu trabalho e pela cidade. À partir de ações interpostas pela FFRF o prefeito foi desestimulado a promover tais eventos. E ele o fez.
25. O Cherokee County School, em Canton, na Geórgia, foi duramente criticado pela FFRF por “ter incluído mensagens religiosas” na sua campanha contra as drogas. Tudo começou pelo fato da escola ter distribuído fitas alusivas à semana especial de prevenção da toxicodependência. Nas fitas estava escrito: “Deus responde orações, drogas não!” Para a FFRF, “embora o conceito anti-droga seja louvável, a injeção de religião nas escolas públicas é inconstitucional”.
26. Alunos da primeira série de Ada Givens Elementary School em Merced, Califórnia, deixarão de cantar canções patrióticas que evoquem à Deus, como no caso de “God Bless America” (“Deus Abençoe a América”). A FFRF exortou os funcionários da escola a não mais usar a canção como parte do currículo, porque “os jovens estudantes são particularmente propensos a acreditar tratar-se de uma mensagem religiosa aprovada pela escola”. O diretor falou com a professora que usou a música e esta afirmou que nunca tivera a intenção de ofender qualquer um dos seus alunos, nem tampouco torná-los desconfortáveis em sua classe. Como God Bless América faz parte do repertório clássico patriótico, a escola resolveu deixar de cantar qualquer uma dessas canções.
ATAQUE CONTRA OS CRISTÃO. APENAS CONTRA CRISTÃOS.
O interessante é que das 103 “conquistas” apresentadas por esta organização, TODAS estão voltadas contra os cristãos. Não há nenhuma menção ao islamismo e seu terrível avanço nos Estados Unidos. Quase todas as denúncias versam sobre orações, testemunhos cristãos, distribuição das Sagradas Escrituras, exposição de versículos, músicas e reuniões evangelísticas, etc. Entretanto, uma das “vitórias” da tal organização mostra que o seu viés ideológico ultrapassa a fronteira da religiosidade.
Em Honolulu, no Havaí, o ônibus escolar responsável pelo transporte dos alunos da Pearl City High School também foi alvo da FFRF. Duas alunas, lésbicas, insistiam em se abraçar, se acariciar e trocarem beijos ao longo do trajeto. Quando o motorista pediu que as duas evitassem aquela exposição, elas procuraram a ONG e esta chegou à conclusão de que “o comportamento do motorista cria um ambiente hostil e intimidante para os estudantes GLBT e para os alunos não-cristãos”, pois os alunos agora sabem que aquele motorista exige um comportamento “em conformidade com a seita que pratica”. Para a FFRF, “o comportamento do motorista não é nada menos do bullying”.
Em Janeiro deste ano o motorista foi afastado das suas funções.

COMPARTIDO DE: http://surfandonoassude.wordpress.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário